“Valorizar a estética das mulheres negras é um mecanismo de autoafirmação identitária e racial”, diz Ireuda Silva no “Trancista Master”

  • 6 de outubro de 2021

A presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Câmara Municipal de Salvador, vereadora Ireuda Silva (Republicanos), participou no dia dois de outubro do “Trancista Master Construindo Uma Nova História”, no Novotel, em Salvador. O evento foi promovido pela cabelereira e empresária Ana Telles.

Ao todo, foram 10 trancistas premiadas: Negra Jhô, Silvia Leite, Mary Fashion, Raquel Cardoso de Souza Silva, Maria Olivia Fragoso, Biel Araújo, Michelle Reis, Denise Melo, Carol Mendez e Quênia Lopes. De acordo com Ireuda, que também é vice-presidente da Comissão de Reparação, as tranças constituem uma representação estética, cultural e histórica das mulheres negras. “Valorizar e enaltecer as tranças e outros elementos da estética das mulheres negras é um mecanismo de autoafirmação identitária e racial. Além disso, é uma forma de dialogar com nosso passado e nossa cultura afro, que é o que define nossa identidade e nosso lugar na sociedade brasileira”, aponta a republicana.

“Além disso, a arte de trançar tem possibilitado o fortalecimento financeiro para muitos profissionais do ramo. Portanto, parabenizo a brilhante iniciativa de Ana Telles e as talentosíssimas trancistas premiadas”, acrescenta.

Texto e foto: Ascom da vereadora Ireuda Silva