Em live, José de Arimateia coloca em pauta situação do trânsito na Bahia

  • 27 de setembro de 2021

No dia 25 de setembro, foi celebrado o Dia Nacional do Trânsito. Em alusão à data, que é marcada pela realização de debates, campanhas e alertas, o deputado estadual José de Arimateia (Republicanos) fez, na tarde do dia anterior, 24 de setembro, uma live, transmitida através do seu Facebook. Com o objetivo de conscientizar a população sobre os cuidados básicos que condutores e pedestres devem ter para um trânsito seguro, o parlamentar convidou o Coordenador do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) em Salvador e Região Metropolitana, Dr. Ivan Paiva, e o vereador de Salvador, Júlio Santos para debaterem o tema.

“De maneira geral, as doenças cardiovasculares têm um impacto como maior índice de mortalidade, mas quando fazemos um recorte especificamente na população de 20 a 40 anos, os acidentes de trânsito acabam sendo as maiores causas de morte”, disse o Dr. Ivan Paiva, preocupado com indivíduos em plena fase produtiva que acabam perdendo a vida precocemente nas vias estaduais. A situação é comprovada por um panorama de mais de 52 mil acidentes de trânsito com quase 80 mil vítimas e cinco mil mortes entre janeiro de 2018 e outubro de 2020, de acordo com um relatório do Departamento Estadual de Trânsito da Bahia (DETRAN-BA).

Como causas destes dados, que envolvem principalmente as motos, estão atitudes já bem conhecidas, como não utilizar o capacete, andar na contramão, exceder os limites de velocidade e fazer uso de álcool. O comportamento de risco, que resulta em elevados índices de acidentes, pode ser evitado através da conscientização, para o deputado Arimateia. Por acreditar na educação como ferramenta eficaz para um trânsito seguro, o parlamentar criou a Lei Estadual 14.125/2019, que institui a Semana Estadual de Prevenção aos Acidentes de Moto no Estado da Bahia, a ser realizada anualmente na primeira semana do mês de novembro.

O dispositivo prevê, entre outras normas, a realização de eventos pelo Poder Público estadual com o objetivo da reflexão, conscientização e análise da política estadual de prevenção aos acidentes de moto. “Além disso, a lei visa alertar a população baiana sobre as consequências dos acidentes de moto, tanto para os acidentados, como para familiares e a sociedade como um todo”, afirmou Arimateia.

Estes efeitos ultrapassam o campo da saúde e chegam a impactar o estado economicamente, de acordo com o Dr. Ivan Paiva. “São milhões de reais gastos com diárias hospitalares e procedimentos e ainda há aquelas pessoas sequeladas, que terminam tendo seus membros amputados e tendo deficiências permanentes. Isso também traz um custo elevado para a seguridade social, envolvendo pessoas que não podem mais trabalhar e precisam de reabilitação”, acrescentou o Coordenador do SAMU.

“Temos trabalhado esses dados em Salvador, para entender onde estão acontecendo os acidentes e em que vias são necessárias as intervenções para diminuir acidentes, feridos e mortos”, comentou o médico emergencista, ao enumerar diversas ações que os municípios têm de pactuar no âmbito da educação do trânsito, da conscientização dos motoristas e motociclistas de que eles devem respeitar as normas de trânsito. “Em 2010, tivemos 309 óbitos no trânsito de Salvador. Em 2019, foram 148, um número ainda alto, porém tivemos mais de 50% de redução. Com base em estratégias de fiscalização, prevenção e educação, junto a um atendimento médico eficiente, conseguimos salvar mais de 150 vidas”, destacou Paiva.

Como desafio ao esforço pela educação no trânsito, entram os jovens. Em um cenário de aumento da circulação de motos em serviços de delivery por ocasião da pandemia, 85% dos motociclistas acidentados no Brasil entre março de 2020 e junho de 2021 foram homens jovens, com idades entre 20 e 29 anos, de acordo com dados do Ministério da Saúde. Para o vereador de Salvador Júlio Santos, o estilo de vida que muitos levam nessa faixa etária é um fator complicador e decisivo para que ocupem os primeiros lugares no ranking de acidentes de trânsito. “O consumo de bebida alcoólica, o excesso de velocidade e ainda o uso do celular enquanto estão dirigindo são fatores preocupantes e que precisam de atenção”, destacou o parlamentar, que trabalha com projetos voltados para jovens há 14 anos.

Na opinião de Júlio, é necessário se fazer um debate aprofundado e inserir o tema na educação desde cedo. “No meu ponto de vista, tem que se fomentar a questão da educação de trânsito nas escolas para que tenham uma conscientização de respeitar o trânsito, tanto como motoristas, quanto como pedestres. Uma vez aprendendo nas escolas e no meio familiar, vamos minimizar os impactos de tantos acidentes. O estado e os municípios também têm um papel fundamental de conscientizar a população. As pessoas acabam pecando pela desinformação”, opinou o vereador.

Para o deputado José de Arimateia, se por um lado a tarefa de educar a população para o trânsito é árdua, outro desafio é fazer com que o Poder Executivo estadual coloque em prática as ações de conscientização, como as previstas na Lei Estadual de sua autoria que institui a Semana Estadual de Prevenção aos Acidentes de Moto na Bahia.

“A lei foi aprovada desde 2019. Se você perguntar: quando chega essa semana, o Governo do Estado coloca dentro das propagandas institucionais um alerta à população? De jeito nenhum. Até agora a lei está invisível até mesmo para o próprio governo”, lamentou o deputado. “Existe a lei, mas falta o cumprimento. Nós, deputados da oposição, temos que ir à justiça ou ao Ministério Público para que se cumpra. Temos essa batalha e esperamos que a sensibilidade e a manifestação popular possam prevalecer”, finalizou.

Texto e foto: Ascom/José de Arimateia

Edição: Republicanos Bahia.